Costa Leste dos EUA tenta retomar rotina após supertempestade Sandy

31/10/2012 07:19

Tormenta matou ao menos 43 pessoas e semeou caos em Nova York.
Presidente Obama visita região afetada em Nova Jersey nesta quarta.

 

Do G1, com agências internacionais

 

 A Costa Leste dos EUA tenta retomar sua rotina nesta quarta-feira (31), após a violenta passagem da supertempestade Sandy, que provocou destruição, inundações, blecautes e pelo menos 43 mortes.

Vários espetáculos e musicais da Broadway serão retomados nesta quarta em Nova York, uma das cidades mais afetadas, com 18 mortos. Espetáculos de sucesso como 'Jersey Boys' e 'The Book of Mormon' voltarão a ser encenados, anunciou a Broadway League Industry.

A Bolsa de Valores de Nova York também retoma os negócios, após dois dias de paralisação.

Os transportes públicos também voltavam aos poucos ao normal, com ônibus já circulando. O metrô deve voltar em até três dias, segundo o prefeito Michael Bloomberg.

Além disso, os organizadores da maratona de Nova York confirmaram que a famosa prova será disputada no próximo domingo, apesar da situação caótica.

O presidente americano, Barack Obama, que interrompeu sua campanha eleitoral desde a segunda-feira por conta da tempestade, vai visitar nesta quarta o estado de Nova Jersey, um dos mais duramente afetados, anunciou a Casa Branca.

O presidente disse ontem que a crise causada pela supertempestade ainda não acabou, afirmando que faria o que fosse preciso para lidar com um drama que, segundo ele, deixou os Estados Unidos de coração partido.

"Esta tempestade ainda não acabou", disse Obama durante uma visita ao quartel-general da Cruz Vermelha americana, em Washington.
saiba mais

Mais de 8 milhões de lares e comércios, em 18 estados, ficaram sem eletricidade na Costa Leste dos Estados Unidos por causa da supertempestade, informou o governo federal. Os estados mais atingidos são Nova York (2 milhões) e Pensilvânia (1,3 milhão), segundo o Departamento de Energia.

O governador de Nova Jersey, estado pelo qual Sandy chegou ao continente, disse que o furacão provocou uma "devastação inimaginável" na costa e que os trabalhos para retirar moradores presos pelas inundações continuam.

A Guarda Nacional está ajudando nos trabalhos na região, onde muitas casas foram arrancadas de suas bases e arrastadas pelos ventos e pela água.

Nova York
O presidente Barack Obama, declarou  situação de emergência para todo o estado de Nova York após a passagem de Sandy.

Parte da ilha de Manhattan está inundada, e 500 mil pessoas ficaram sem energia elétrica na cidade de Nova York.

Rodovia à beira-mar em Rodanthe, Carolina do Norte, danificada nesta terça-feira (30) pela passagem de Sandy (Foto: AP)

Rodovia à beira-mar em Rodanthe, Carolina
do Norte, danificada nesta terça-feira (30) pela
passagem de Sandy (Foto: AP)

Uma empresa de previsão de desastres estimou que as perdas econômicas poderiam chegar a US$ 20 bilhões, sendo apenas metade desse valor garantida por seguros.

Sandy tocou a terra na noite desta segunda pela costa de Nova Jersey, com ventos de 130 km/h e deslocando-se a 37 km/h.

O olho do fenômeno (a parte central da tempestade) atingiu as proximidades de Atlantic City, de acordo com o boletim do Centro Nacional de Furacões (CNF), com sede em Miami.

As autoridades americanas haviam advertido sobre os riscos "sem precedentes" e ordenaram a saída de centenas de milhares de pessoas em cidades ao longo da faixa costeira da Nova Inglaterra (nordeste) até a Carolina do Norte (sudeste).

A passagem da tempestade interrompeu a campanha eleitoral americana, a uma semana das equilibradas eleições de 6 de novembro.

Tanto Obama como seu rival republicano, Mitt Romney, cancelaram eventos eleitorais.

Os dois candidatos têm consciência da importância política de dedicar toda a atenção às consequências da tragédia, pois lembram do que aconteceu com o furacão Katrina em 2005.

A resposta ao Katrina, que devastou Nova Orleans (Louisiana, centro-sul do país), foi encarada como um fracasso das autoridades, lideradas pelo então presidente republicano George W. Bush, o que marcou o restante de seu segundo mandato.

Em sua passagem pelo Caribe, na semana passada, Sandy deixou 67 mortos, milhares de desabrigados e muitos prejuízos. Só no Haiti, foram 51 mortos.

G1

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!